Academia Vianense de Letras

José Raimundo Campelo Franco, o caçula dos cinco filhos de Daniel Eduardo Franco e Maria da Conceição Campelo Franco nasceu em Viana, no dia 21 de novembro de 1972. Apelidado de “Deda” desde a infância, cedo foi alfabetizado pela madrinha e professora Didi Magalhães, antes de ingressar no extinto Grupo Escolar São Sebastião, onde iniciou o antigo curso primário. Depois de passar pelo Centro Educacional Raimundo Marcelino Campelo, o jovem decidiu-se pelo Magistério, cursado parte na Escola Normal e parte no Antônio Lopes.

Em 1994 chegou a São Luís para continuação dos estudos, graduando-se cinco anos depois em Geografia Licenciatura pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e especializando-se, após, em Ensino da Geografia e a Questão Ambiental. Em 2008, José Raimundo Franco concluiu o mestrado em Sustentabilidade de Ecossistemas pela mesma UFMA, onde exerce atualmente o cargo concursado de Professor Assistente de Geografia, no Campus de Pinheiro. Como extensão das atividades docentes, o jovem professor desenvolve e coordena pesquisas relacionadas aos recursos hídricos, cultura e memória da Baixada Maranhense.

Em sua dissertação de mestrado, Franco apresentou um consistente estudo sobre as funções fisiológicas do lago de Viana e toda a malha de corpos hídricos que compõem o sistema lacustre vianense, utilizando-se para tanto dos modernos conceitos da geografia e de ferramentas hoje disponibilizadas pelo avanço da ciência como, por exemplo, imagens de satélites da região. Interferências antrópicas como o processo de assoreamento do lago, barramento das águas, poluição urbana, bubalinocultura extensiva nos campos inundáveis e seus reflexos no âmbito social também são abordados em seu ensaio acadêmico.

Dois livros – Originalmente, o texto produzido por Franco intitulava-se Sistema Lacustre Vianense: ensaios de modelos conceituais para os lagos do município de Viana – MA. Depois de submetido, via edital público, à análise da Fapema (Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão), o trabalho driblou acirrada concorrência e recebeu o sinal verde para publicação com apenas uma ressalva: devido ao seu alto custo pela grande quantidade de mapas e outras ilustrações coloridas, precisaria ser dividido em duas publicações.

Desse modo, o livro com a primeira parte do trabalho, intitulado Segredos do rio Maracu, apresenta um estudo preliminar do rosário do Maracu, traduzindo na linguagem científica da geomorfologia fluvial, toda região do rosário de lagos. O segundo livro (com título provisório de Veias do rio Maracu) trata especificamente da hidrografia vianense, onde se inclui a composição das águas, seus processos e interações com outros ecossistemas, vegetação, clima, solo, enfim toda a integração desse conjunto que compõe nossa biosfera local.

A publicação do trabalho de Franco, em 2012, trouxe o louvável mérito de diminuir, em parte, o grande vazio que pairava sobre um tema de suma importância para estudantes e pesquisadores da área geoambiental da Baixada Maranhense. No âmbito das publicações oficiais, fora o clássico Uma Região Tropical de Raimundo Lopes e Retrato de um Município de Ozimo de Carvalho, quase nada mais havia que pudesse servir de bibliografia específica sobre esse magnífico e maltratado ecossistema lacustre que a natureza nos brindou.

Por tantos méritos acadêmicos, José Raimundo Campelo Franco foi eleito para ocupar a Cadeira n° 32 da AVL, tendo tomado posse em maio de 2013.

Por Luiz Alexandre Raposo