Academia Vianense de Letras

 

No seu 15º aniversário a Academia Vianense de Letras, no dia 27 de maio de 2017, realizou duas Sessões Solenes Comemorativas, a primeira, iniciando às 10:00 horas, na Biblioteca Pública Municipal Ozimo de Carvalho, onde ocorreu a sessão solene alusiva ao descerramento da Placa Comemorativa dos 15 anos de fundação da AVL.

Descerramento da placa alusiva aos 15 anos de fundação da Academia

A presidente Fátima Travassos descerrou a placa comemorativa, acompanhada do Prefeito Municipal de Viana Magrado Aroucha Barros, da Vice-Prefeita Lucimar Gonçalves, do Vice-Presidente da AVL Elvemir Franco e do Presidente da Câmara Municipal Valter Serra

 

Logo após foram lançadas as seguintes obras literárias: “A Família Piedade em Viana”, de Heitor Piedade; “Um Retrato de Viana”, de João Cordeiro; “A Caçadora”, de Aldir Ferreira; “Maria da Tempestade”, de João Mohana; “O Torrão Maranhense”, de Raimundo Lopes da Cunha; “O Baile de São Gonçalo”, de Lourival Serejo e “Púcaro Literário”, organizado por Jucey Santos de Santana e João Carlos Pimentel Cantanhede, da Academia Itapecuruense de Ciências, Letras e Artes – AICLA.

 

A obra “A Família Piedade em Viana”, escrita pelo acadêmico Heitor Piedade Júnior, possui 118 páginas nas quais é apresentada a história da família Piedade, trazendo, em seu primeiro capítulo, um breve relato histórico de Viana até os anos 1960. Nos capítulos seguintes, são destacadas, entre outras figuras, o patriarca da família, Heitor Piedade, que foi Prefeito de Viana nos idos de 1929/1930, e a professora Maria de Jesus Piedade Rodrigues, que marcou a história do magistério em Viana. O livro é ilustrado por 56 fotografias nas quais são apresentados membros da família Piedade, personalidades vianenses e patrimônio histórico, além de belezas cênicas de Viana.

O acadêmico Heitor Piedade Júnior (foto), que ocupa a cadeira nº 3 da Academia Vianense de Letras, é filho primogênito do casal Heitor e Etelvina Nogueira Piedade. Nasceu em São Luís, na data de 14 de setembro de 1928, mas foi criado em Viana. Desde cedo, teve seus caminhos voltados para a vida sacerdotal, tornado-se seminarista aos doze anos de idade e ordenando-se sacerdote em 1954, porém, deixou a batina no final dos anos 1960.

No currículo de Heitor Piedade Júnior constam as seguintes obras publicadas: “Fatores Endógenos da Criminalidade” (tese de mestrado), “Personalidade Psicopática e Medida de Segurança” (tese de doutorado, publicado pela Editora Forense, em 1980), “A Sangue-Frio – Origens e Consequências da Violência na Sociedade Brasileira”, em parceria com Márcio Duarte, em 1999 e “O Vale dos Esquecidos – Uma Visita ao Manicômio Judiciário”, em 2002.

 

Na obra “Um Retrato de Viana”, o acadêmico João Mendonça Cordeiro faz um apanhado da geografia, da economia, da história e da cultura de Viana entre os anos de 1683 a 2013, não se confundindo com a inigualável obra “Retrato de um Município” de Ozimo de Carvalho.

O acadêmico João Mendonça Cordeiro (foto) é filho primogênito de João Lopes Cordeiro e Eruena Mendonça Cordeiro. Nasceu em Viana, no dia 6 de agosto de 1934. Ingressou  no Seminário Santo Antônio de São Luís para fazer o curso de Humanidades. Anos depois, transferiu-se para o Estado da Paraíba, onde concluiu o curso de Filosofia, em 1954. No ano seguinte, João Cordeiro retornou ao Maranhão, onde concluiu o curso de Direito na antiga Faculdade de Direito em São Luís, no ano de 1961.

João Cordeiro é membro da Academia Vianense de Letras, ocupando a cadeira nº 4, e é membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, tendo como patronos, respectivamente, Sálvio Mendonça e Aquiles Lisboa. No seu currículo constam as seguintes obras publicadas: “O Mulato, cem anos de um romance revolucionário; “Zoomorfismo Literário”; “Biografia e Bibliografia do Dr. Aquiles Lisboa”; “Dr. Sálvio Mendonça, biografia e bibliografia médica”; “Pessoas e Coisas de Viana”; uma autobiografia escrita em comemoração aos seus 70 anos; “O Impeachment do governador Achiles Lisboa” e “10 anos da Academia Vianense de Letras” .


O livro “A Caçadora” é o terceiro trabalho de Aldir Penha Costa Ferreira, que, nesta obra, dá continuidade ao tema tratado na obra “Contos do Jaleco Branco”, reunindo narrativas reais e fictícias inspiradas no cotidiano dos profissionais da área da saúde.

O acadêmico Aldir Penha Costa Ferreira (foto) nasceu em São Vicente Ferrer, na data de 05/07/1938, residindo parte de sua infância em Viana. Formou-se em medicina pela Universidade Federal do Maranhão, tornando-se professor da mesma instituição de ensino superior. Aposentado, atualmente se dedica à literatura. É cronista e escritor, possuindo vários artigos publicados em jornais maranhenses e em antologias editadas em Brasília.

Ocupa a cadeira nº 26 da Academia Vianense de Letras, tendo como Patrono Padre Constantino Vieira. Também é membro da Academia Maranhense de Medicina. Publicou os livros: “Espelho D’água”, “Contos do Jaleco Branco e “No Tempo do Um”.

 

 

“O Baile de São Gonçalo”, escrito por Lourival Serejo, foi originalmente lançado no ano de 2002.  Na segunda edição da obra, o autor teve a contribuição de vários guias do Baile de São Gonçalo, preservando a essência da tradicional manifestação religiosa do folclore vianense.

O vianense Lourival de Jesus Serejo Sousa é o oitavo filho do casal Nozor Lauro Lopes de Sousa e Isabel Serejo Sousa. Deixou Viana aos 17 anos para concluir os estudos em São Luís, concluindo o antigo colegial no Colégio Universitário no ano de 1971, iniciando curso superior no ano seguinte. Graduou-se em Direito em 1976. No ano de 1979 ingressou no Ministério Público e, posteriormente, na magistratura. Atualmente é Desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Ocupa a cadeira nº 10 da Academia Vianense de Letras, além de ser membro da Academia Maranhense de Letras Jurídicas, da Academia Imperatrizense de Letras e da Academia Maranhense de Letras. Publicou as seguintes obras: “Contribuições ao Estudo do Direito”, “Direito Constitucional da Família” e “Programa de Direito Eleitoral”. Entre suas obras literárias estão: “O presépio queimado”, “Rua do Porto”, “Do alto da Matriz”, “O baile de São Gonçalo”, “Da aldeia de Maracu à vila de Viana”, e “Entre Viana e Viena”.

O acadêmico Lourival Serejo (foto abaixo) também fez a apresentação das obras Maria da Tempestade, do patrono João Mohana e O Torrão Maranhense, do patrono Raimundo da Cunha Lopes ambas reeditadas pela Academia Maranhense de Letras (AML).

 A obra “Maria da Tempestade”, escrita pelo padre João Mohana, foi originalmente lançada na década de 1950, na qual o autor recria o contexto de uma época em que os valores familiares tradicionais eram colocados em posição de superioridade em relação aos ideais de independência e liberdade. O livro é ambientado no início dos anos 1900, trazendo críticas à sociedade da época.

João Mohana nasceu em Bacabal, no dia 15 de junho de 1925. Formou-se em Medicina no Estado da Bahia e concluiu o curso de Filosofia e Teologia no Seminário de Viamão, no Rio Grande do Sul. Foi membro da Academia Maranhense de Letras, onde ocupou a cadeira nº 3, e é patrono da cadeira nº 8 da Academia Vianense de Letras, atualmente ocupada pelo acadêmico Elvemir Nunes Franco.  

Escreveu diversas obras literárias como: “O outro caminho”, integrando a coleção internacional “Gli operai della vigna”, além das peças de teatro: “Belas e fortes” e “Inês e Pedro e Abraão e Sara”. Publicou também trabalhos voltados à espiritualidade e orientação existencial.

A obra “O Torrão Maranhense”, do vianense Raimundo da Cunha Lopes, foi lançada originalmente em 1916. Apresenta um estudo sobre o Estado do Maranhão, tendo como base os novos rumos tomados pela geografia no início do século XX. A segunda edição da obra possui apresentação da acadêmica Conceição Raposo e orelhas assinadas pelo acadêmico Lourival Serejo.

Patrono da cadeira nº 11 da Academia Vianense de Letras, Raimundo da Cunha Lopes é filho caçula de Dr. Manuel Lopes da Cunha e de Maria de Jesus Sousa Lopes da Cunha. Nasceu em Viana, no dia 28 de setembro de 1894, porém, aos seis anos de idade passou a residir na capital do Estado. Após residir um tempo no Estado do Rio de Janeiro, Raimundo Lopes retornou ao Maranhão e, fascinado pela geografia, com apenas 17 anos, escreveu seu primeiro livro, intitulado “O Torrão Maranhense”, o qual fora lançado no ano de 1916, no Estado do Rio de Janeiro.

Anos depois, Raimundo da Cunha Lopes publicou “Uma Região Tropical”, que consistiu no aprimoramento das ideias apresentadas no “Torrão Maranhense”. Ao longo de sua vida, lançou inúmeros trabalhos, a exemplo de: “Os Fortes Coloniais de São Luís”, “As Regiões Brasileiras”, “Entre a Amazônia e o Sertão”, “O Homem em Face da Natureza”, “Ensaio Etnológico sobre o Povo Brasileiro”, “Pesquisa Etnológica sobre a Pesca Brasileira no Maranhão” e “Antropogeografia”. Publicou também o romance “Peito de Moça”.

 

O “Púcaro Literário”, organizado por Jucey Santos de Santana e João Carlos Pimentel Cantanhede, é uma coletânea de poesias, contos, crônicas e artigos de autores itapecuruenses e convidados. Trata-se de um vasto repertório de criações literárias que fogem à rotina pragmática, materializando nuances da vida em diversos aspectos e dimensões. É uma obra coletiva em que os autores desnudam seus sentimentos e impressões.

 


 

 

A referida obra contou com a participação da Presidente da AVL, a acadêmica Maria de Fátima Rodrigues Travassos Cordeiro, a convite da AICLA, que integrou a coletânea com uma de suas poesias, "Meu Poema Anônimo", que traz o registro de suas impressões acerca dos sentimentos da Musa e seu Poema Anônimo.



 

 

 

: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :

FOTOS DO LANÇAMENTO DE OBRAS

: : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : : :


Acadêmicos, autoridades municipais e convidados prestigiaram o lançamento das obras literárias na Biblioteca Pública Municipal Ozimo de Carvalho

Radialista Augusto Marques e o Prefeito Municipal Magrado Barros

Acadêmico Lourival Serejo e o Secretário Municipal de Infra Estrutura Luzardo Filho

Acadêmicos e convidados

Auditório do Lançamento das Obras Literárias

Cantor e Compositor Toninho  Rabelo

Confrade e Escritor Heitor Piedade

Confrade prestigiando o Lançamento das Obras

Família Luzardo e a Presidente da AVL

Homenagem da Biblioteca Pública Municipal Ozimo de Carvalho à AVL

Lançamento de Obras Literárias

Obras Literárias

Secretário Municipal de Educaçãoo, Oliveira Júnior e o confrade Heitor Piedade, acompanhados da equipe da Biblioteca

Tânia Diniz, Rivalgênia e convidada, prestigiando o Lançamento das Obras Literárias

Vice-Prefeita Lucimar Gonçalves e a Presidente da AVL, Fátima Travassos

Vice-Prefeita Lucimar Gonçalves, acadêmica Vitória Santos e convidadas

Vice-Presidente da AVL, Elvemir Nunes Franco, conduzindo o cerimonial do Lançamento das Obras Literárias