Academia Vianense de Letras

Lançado em 2002, o livro trazia sua orelha assinada pelo então Secretário de Estado da Cultura, Luiz Bulcão, que ali frisava: “Nesta época de globalização, o fortalecimento de nossas tradições culturais é de suma importância, porque só valorizando essas manifestações locais estaremos preservando nossa identidade”.

Na segunda edição da obra, o autor teve a contribuição de vários guias do Baile de São Gonçalo, preservando a essência da tradicional manifestação religiosa do folclore vianense.

O vianense Lourival de Jesus Serejo Sousa é o oitavo filho do casal Nozor Lauro Lopes de Sousa e Isabel Serejo Sousa. Deixou Viana aos 17 anos para concluir os estudos em São Luís, concluindo o antigo colegial no Colégio Universitário no ano de 1971, iniciando curso superior no ano seguinte. Graduou-se em Direito em 1976. No ano de 1979 ingressou no Ministério Público e, posteriormente, na magistratura. Atualmente é Desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Ocupa a cadeira nº 10 da Academia Vianense de Letras, além de ser membro da Academia Maranhense de Letras Jurídicas, da Academia Imperatrizense de Letras e da Academia Maranhense de Letras. Publicou as seguintes obras: “Contribuições ao Estudo do Direito”, “Direito Constitucional da Família” e “Programa de Direito Eleitoral”. Entre suas obras literárias estão: “O presépio queimado”, “Rua do Porto”, “Do alto da Matriz”, “O baile de São Gonçalo”, “Da aldeia de Maracu à vila de Viana”, e “Entre Viana e Viena”.