Academia Vianense de Letras

A felicidade –- Talvez seja um dos temas do desenvolvimento humano mais almejado pela humanidade.

Há muito tempo, ouvia-se alguém dizer a frase: ---“Ninguém é feliz completamente”, e ainda considerava-se que, só era feliz aquele que possuísse muitos bens materiais, e ainda assim sempre faltava algo para completá-la, pois acreditava-se que ela dependia unicamente do verbo “ter”; ter isto... ter aquilo...

Hoje, a felicidade mudou de sentido? Ou as pessoas aprenderam a buscá-la em seu significado mais próximo do real?  –- um estado de espírito que depende primeiramente do querer e do ser-- ser gentil; ser grato; ser amável; ser humilde, e que acontece no presente em razão do momento pelo qual se encontra o maior mistério do ser humano –- a alma

Mas será que as pessoas eram felizes e não sabiam? Não sabiam, por isso não expressavam? Ah! então, faltava realmente algo: o lado online da felicidade. Faltava a felicidade em tempo de tecnologia, aquela compartilhada, que independe de bens materiais para existir, basta apenas um lindo olhar sobre si próprio e um sorriso sobre a tela para receber do outro lado, um abraço amigo da família, dos amigos, dos conterrâneos, enfim de todas as pessoas que também aprenderam a ser felizes e curtir o outro, de forma espontânea e real.

Maria Consuelo Travassos Serejo de Sousa 

Professora de Língua Portuguesa e Literatura na rede estadual.